quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Mais um dia ao teu lado!


Dois anos.

730 dias.

17.520 horas.

Intermináveis (e torturantes) segundos.

É assim que me deparei com a realidade.

É assim que uma ausência física te deixa, sem noção da realidade, te tira a noção do tempo.

Todos os dias, desses dois anos, me parecem ontem, mas né, como já cantava o nosso saudoso Cazuza: “o tempo não para”, ele continua, por mais que você implore, o ponteiro insiste em girar.

As lágrimas já não caem com tanta frequência, à dor (e até a raiva) dá lugar ao vazio.

As lembranças antes tão doloridas, hoje dão lugar às lembranças felizes, é uma alegria de ter vivido aqueles momentos.

Mas vou ser sincera, tem dias que não são assim.

Tem dias que aparece uma saudade que te mata por dentro, que te trava e só faz pensar em tudo que poderia ter sido se nada tivesse sido do jeito que foi.

E eu vou te dizer, é uma dor enorme.

Um sorriso, um abraço, trejeito, ou aquela ligação depois de alguma coisa boa ter acontecido.

Eu rezo, todos os dias. Peço conforto e luz – mesmo que muitas vezes eu já tenha questionado porque Ele tomou essa decisão.

Tem dias, que nem rezando consigo acalmar esse coração saudosista.

Tento manter a memória viva, mas descobri que ela nos prega peças, e que aos poucos vamos esquecendo coisas que a gente queria que fossem inesquecíveis.

A voz, o calor do abraço, o brilho do sorriso, a paz.

O tempo não parou para que eu me recuperasse, a vida continuou, e hoje eu sou só saudade!


Pai, eu só queria mais um dia ao teu lado!

Te amo por todo sempre, de onde tu estiver!  

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

é tudo por ele!


todos os dias eu acordo, trabalho, tomo decisões difíceis e muita vezes eu acabo chorando.

acordo mais cedo, durmo mais tarde (e várias vezes sou acordada na madrugada) e tudo isso é por ele!

preparo banho, o jantar com ele se pendurando nas minhas pernas e também levantamento de peso com as sacolas do mercado, mochilas, brinquedos e minha bolsa - enquanto ele leva 

perco sono por uma febre que não baixa, confiro a respiração enquanto ele dorme.

tudo isso é por ele!

insisto naquela: “só mais essa colherada filho”, crio um mundo encantado nas histórias para dormir, insisto em puxa o cobertor enquanto ele se destapa.

vejo meu filho desbravando o mundo, conhecendo que ele vai muito além dos meus braços. eu seguro o choro pra ninguém ver.

tudo isso é por ele!

me transformo em uma super heroína, a parceiro da vez do desenho favorito e até em animais, talvez até em um trem. construo estradas, cidades e também crio monstros de espuma na hora do banho.

tudo isso é por ele!

aprendi a pegar coisas caídas no chão com o pé e uma criança no colo.

fico insegura, cansada, com medo e tudo é por ele.

penso que nunca vou dar conta de tudo, e mesmo que não dei, no final do dia, quando ele pega no sono, eu rezo e agradeço por ter sido tão abençoada.

é tudo por ele!

na faz sentido sem ele, a vida não tem tanta cor sem ele, meus planos, minha vida, minha razão, a vontade de mudar o mundo, é tudo por ele!


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

perfil no instagram recria fotos de mães famosas | ATL Girls

Que a maternidade não tem glamour a gente sabe, mas algumas mães famosas postam fotos de uma realidade fora do comum para nós, meras mães da vida real.
Além disso, temos também aquela tal expectativa x realidade quando fotografamos, não é?
Na minha coluna no ATL Girls da Rede Atlântida, mostrei gringo que vem fazendo sucesso recriando fotos de famosos e também de mães famosas que amamos!

clique na imagem e confira!


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Fofoca Entrevista - Karen Jonz

 

muitas pessoas podem conhecer a Karen como uma das maiores skatistas do nosso país, mas eu conheci ela já grávida, da pequena Sky.

cheguei até a Karen pelo YouTube e logo me apaixonei pelos vídeos que ela e o seu "namorido" Lucas (da banda Fresno) fazem no canal Garagem de Unicórnio.
Indiquei o canal deles em uma matéria de meus canais favoritos do Youtube, clique aqui para ler
há algum tempo atrás mandei um e-mail para ela questionando se ela toparia participar e pra minha surpresa, Karen foi super solicita e respondeu minhas perguntas mesmo estando machucada.

agora conheça um pouco mais de quem é Karen Jonz!


O que mais te surpreende nesse “mundo virtual” da maternidade?
Que todo mundo quer dar palpite desinformado na criação das crianças

O que seus pais deixaram de mais importante na sua vida, que você leva hoje para Sky? E o que você quer deixar para ela para que passe para seus netos?
O conceito de família. De ser uma entidade e estar sempre junto, apoiando em toda e qualquer situação

Tu anda de skate, provavelmente é cobrada para manter o corpo em dia. Como foi para você voltar ao peso e o corpo depois da gestação? Tu te preocupou com isso?
Preocupei sim, tinha medo de não perder o peso que ganhei na gestação e ser muito difícil voltar a andar. Mas  de amamentar foi tudo embora. Não tinha preocupações tipo vou ficar flácida ou com estria,  relacionadas ao corpo para performance. Com 6 meses ainda não voltei com a musculatura e forca, mas estou fortalecendo com acompanhamento do meu fisioterapeuta Mó e cada dia que passa sinto uma evolução. 

Tu e o Lucas tem rotinas bastante agitadas, como vocês organizam a rotina da Sky?
Diminuímos bastante o ritmo. Combinamos tentar fazer o minimo de coisas possíveis para poder ficar com ela nessa fase que requer mais atenção e passa tao rápido. Tentamos centralizar tudo em casa. Entrevista, gravação, treinos. Ele fica com ela de manha e eu de tarde, mas estamos sempre que possível juntos. 


O que mais mudou dentro de ti desde que te tornou mãe? E o que mais mudou na tua relação com o Lucas?
O assunto (risos). Por enquanto é tudo sobre a bebê e mal temos tempo pra nos nesse momento. É foto de coco e afins no whatsapp quando ele viaja. 

Você tem várias tatuagens pelo corpo (confesso que queria ter a mesma coragem, tenho 6 já, mas doida por mais), em algum momento, já foi julgada por outras mães por ser assim?
Não. Inclusive não vejo a hora de parar de amamentar para fazer mais.


Quando engravidou da Sky, qual a primeira coisa que te fez perceber que tua vida realmente estava mudando?
Parar de andar de skate

Qual sua opinião quanto aos padrões de maternidade (parto humanizado, amamentação em livre demanda e prolongada, alimentação BLW...) que muitas mães vem querendo ditar?
Sou adepta de todos hahaha. Sky nasceu de parto humanizado, livre demanda, BLW, sem chupeta, sem choro, cama compartilhada. Mas cada mãe segue a linha que acha melhor e não é menos mãe por isso. Só não pode faltar informação


Teu estilo de vida é único, mais radical do que a vida de muitas mães, já foi cobrada por isso?

Uma vez postei foto andando de skate com ela e fui muito criticada. Fiquei chateada pelos comentários, mas mais abismada pela ignorância de alguns. Sou muito bem informada e não arriscaria a vida dela. Coisas desse tipo acontecem quase toda semana, com todo tipo foto. Postei uma foto dela comendo mandioca no vapor BLW e fui xingada por estar dando batata frita hahaha. Eu que deveria xingar a falta d atenção das pessoas em ler a legenda! 
_________________________________________________
Ahhhh, impossível que você não tenha se encantando com essa mãe super estilosa, não é?

Eu sou muito fã mesmo dela e dessa família incrível!

Acompanhe a Karen nas redes sociais:
Instagram: @karenjonz
Facebook: /karenjonz

Obrigada Karen pelo carinho, foi muito bom te conhecer um pouco mais, fiquei ainda mais fã!


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

endometriose - minha cirurgia e pós operatório



demorei para escrever essa matéria pois queria esperar passar todo o pós operatório, mas como ele está se estendendo um pouco decidi contar um o que está acontecendo.

para quem não sabe a minha luta desde que fui diagnosticada com endometriose, aqui está os links das matérias que já escrevi sobre:
- endometriose (como fui diagnosticada)- endometriose - tratamento (meus tratamentos para endometriose)- a espera pela cirurgia (conto os problemas que tive até fazer a cirurgia)
como nesses link's acima já tem tudo que aconteceu antes da cirurgia, vou focar realmente no dia da cirurgia em diante.

minha cirurgia para retirada dos focos de endometriose foi realizada no dia 28.10.2016, no hospital Dom Vicente Scherer (Porto Alegre -RS) , pelo médico especialista em endometriose Paulo Sytiá (ele é O cara da endometriose, dá palestras no Brasil inteiro sobre), vou deixar o contato dele no final desse post.

para minha surpresa, eu estava super calma quando cheguei ao hospital, talvez por todo estresse que passei, disse para mim mesma que só acreditaria realmente que estava tudo certo, quando estivesse deitada na maca do bloco cirúrgico e foi isso que realmente aconteceu.

o procedimento foi realizado por videolaparoscopia (já fiz uma para retirada da vesícula), onde são feitos três acessos na barriga (um no umbigo e dois perto da cicatriz da cesárea) e um acesso é veio pela vagina, por isso a posição para a cirurgia é ginecológica e com anestesia geral.

minha cirurgia durou aproximadamente 1:30, 1:45 e foram retirados todos os focos de endometriose que existiam, localizados perto do útero. além dos focos, foram secadas varizes no útero, retirada algumas aderências e também testadas as minhas trompas (caso eu queira engravidar, mas não é o caso).

me acordaram ainda no bloco cirúrgico e senti MUITAS dores, então logo me deram morfina para que até a chegada na sala de recuperação não fosse tão dolorida.

por precaução, nessa cirurgia é necessário pernoitar no hospital e por ser algo sem maiores complicações, passei a noite na sala de recuperação mesmo, não foi necessário um quarto.

assim que cheguei na sala de recuperação, as dores são inevitáveis e por experiência própria nem cogitei me virar de lado, isso porque nas cirurgias por videolaparoscopia é injetado gás dentro do abdômen para que os órgãos se soltem e as camadas dentro também se inflem para melhor manejo do médico, e na minha primeira cirurgia por vídeo, assim que cheguei na recuperação, quis deitar de lado e a sensação de ter TODOS teus órgãos indo para o lado não é nenhum pouco boa. mas além disso, a dor é bem chata, então ficar deitada de barriga para cima é melhor.

passado alguns minutos, passei a sentir uma dor bem incômoda no meu braço esquerdo (onde estava o acesso onde foi injetada a anestesia e depois da cirurgia, o soro e remédios para dor) e por mal conseguir me mexer, pedi que a enfermeira olhasse meu braço e assim que ela baixou o lençol, pude ver meu braço praticamente explodindo. o acessos tinha saído do lugar e o soro estava todo no meu braço. foi preciso muitas compressas de água quente e fria para que voltasse ao normal e o acesso foi imediatamente trocado para o outro braço.

as dores são inevitáveis, é preciso ficar a base de remédios fortes para que você consiga aguentar. total sem dor, não posso dizer que fiquei, foi bem chato.

não consegui comer muito, pois tudo por dentro incomoda, mas como estava com soro, não precisei me preocupar muito em comer. o que realmente é preciso, é fazer xixi, para que realmente passe o efeito da anestesia (que é feito na comadre, um recipiente que colocam pra você fazer e não precisar ir até o banheiro).

o efeito da anestesia geral, para quem nunca teve que passar por um procedimento assim, não passa imediatamente, você está acordada, mas ainda tem efeito dentro do seu corpo e a medida que ele vai passando, seu corpo vai dando sinais, como por exemplo dormência dos membros, formigamento, ansiedade, é bem chato, mas é preciso manter a calma, pois caso contrário fica ainda mais complicado os sintomas até que passe totalmente o efeito.

a noite foi complicada, não consegui descansar. mesmo com remédio para dormir, vi no relógio todas as horas passarem naquela noite.


pela manhã, é preciso conseguir se levantar e ir até o banheiro, e isso é muito dolorido. descer da cama, tentar ficar de pé, caminhar, é tudo muito dolorido, mas é necessário e as enfermeiras te estimulam toda hora para isso.

depois de algumas idas ao banheiro, fui colocada sentada, pois minha alta estava chegando e talvez por isso, passei a sentir mais dores. fui medicada com dois remédios, e apenas não tomei morfina, por saber que a dor não era tão forte para isso e também porque a sensação da morfina é ruim, minha pressão despenca e parece que meu corpo sai de mim.

recebida a alta, finalmente pude vir para casa (quando se está operada você percebe ainda mais que o caminho até sua casa é cheio de buracos)  e deitar na minha cama foi simplesmente maravilhoso.

nos primeiros dias não consegui comer nada que não fosse comida de doente, sopa, frango grelhado com arroz. 

no terceiro dia de pós operatório, tive que entrar em contato com o médico, pois os remédios que o médico tinha me passado não estavam fazendo efeito.

além disso fiquei constipada por muitos dias (efeito dos gases inseridos para a cirurgia), a dor para ficar em pé é bem forte, a sua barriga fica enorme e qualquer coisa movimento que você tenha que fazer não parece mais tarefa fácil, pequenas caminhadas são indicadas, mas seu corpo não consegue muito responder, o cansaço bate muito mais rápido que você imagina.

não tive muitas dores nos pontos, claro que estavam sensíveis, mas as dores que tive foram mais internas mesmo.

não é permitido pegar peso, exercícios físicos e relação sexual. o repouso é de 15 dias e a liberação para suas atividades são liberadas conforme o médico liberar.

tirei meus pontos com exatas duas semanas da cirurgia e a minha cicatrização foi ótima e no dia fui liberada para exercícios físicos leves, relação conforme fosse confortável para mim e até me liberou para ir no show da Anitta que eu tinha pelo ATL Girls naquele dia.

na semana seguinte a retirada dos pontos, tentei voltar a fazer minhas atividades, limpar a casa, dar banho no lucca, passeios curtos e nada foi fácil, voltei a ter muitas dores.

na sexta passada, dia 18 tive crises muito fortes que me fizeram ter que sair do trabalho e vir para casa repousar. liguei para o médico e ele disse que isso ainda é normal, que posso ficar 60 dias ainda sentindo alguma dores e me passou um tratamento para seguir tomando até que eu me sentisse melhor.

passei o final de semana TODO deitada, todo não é exagero, fiquei mesmo, deitada no meu quarto o final de semana inteiro repousando (e claro, olhando muito netflix).

o pós operatório mais chato que já tive, essa é minha 3a cirurgia (retirada da vesícula, cesárea e endometriose) e hoje estou realmente repensando se algum dia ainda quero colocar silicone nos seios, pois realmente não está sendo fácil essa recuperação.

mês que vem tenho retorno com o meu ginecologista para mostrar os resultados da cirurgia e indicações de como continuar com os tratamentos da endometriose, pois infelizmente ela não tem cura. hoje estou sem focos, mas se eu não continuar tratando, eles poderão voltar.

olha pipow, aqui é apenas o meu relato, não tem termos técnicos da cirurgia, nem parecer médico, é apenas tudo que aconteceu comigo nessas pouco mais de três semanas de cirurgia.

ahhh, segue o contato do meu cirurgião (atende Unimed e outros planos também)
Clínica Endoyne
Dr. Paulo Sytiá
(51) 3222-7849
Rua Mostardeiro, 392, sala 701 - Bairro Moinhos de Vento, Porto Alegre  - RS

ele é super gente boa, tira todas as dúvidas, super recomendo!

caso novas coisas aconteçam depois, volto e conto mais para vocês.

se vocês tiverem alguma dúvida, algo que talvez eu tenha deixado passar aqui, fiquem à vontade de me perguntar, podem me chamar nas redes sociais ou também me mandar um email: fofocademae@gmail.com