quinta-feira, 28 de julho de 2016

Vamos falar sobre assumir? - Por Guilherme Fuoco

Papai Jovem no Fofoca!!!
Aeeeee! Obrigado, Pam! Que honra!

Cá estamos e começamos a jornada aqui no Fofoca falando sobre assumir. Outro dia eu reparei um casal com seu filho no shopping. O menino corria pra lá e pra cá no Playland e os pais sentados atualizando o "face" e dando um bizu no whatsapp!
NOOOO!!!
Não é assim, gente!
Assumir a paternidade e a maternidade é pagar tudo, sim! Mas também significa participar da vida do filho. Olha só, não precisa atrapalhar a atividade da criança! É simples: no parquinho de diversões como esses que têm minigames, você ensina, acompanha se entendeu, estimula, corrige, torce junto, elogia, tira sarro!

Vive, velho!!!! Vive!!! Educa!!!
Larga o face, poxa! As notificações não vão sumir, sério. Quando a criança dormir, você olha! Ou lá no trampo, sei lá.
E falando em serviço! Tem outra coisa importante para a hora de folga: depois você responde seu chefe. Aprendi isso na raça.
Tava de boa lendo meus e-mails do trabalho...
- Ô PAI! Larga o celular! PRECISO PASSAR DE FASE NO VIDEOGAME! AJUDA AÍ!

Eu tava tão vidrado no serviço que, de repente, esqueci que a Laura, minha filha de 7 anos, tava querendo brincar.
Pois é, amigos, assumir a paternidade e a maternidade é algo que está nos detalhes. Não apenas no pagar, no corrigir, no criar. Está em participar. Em abdicar da nossa diversão para a educação deles.

A gente consegue. Sério. Vamos à luta! Vamos ser exemplos com ações! Só temos a ganhar!
Eh Noiz!
Ah!!! Presente de estreia! Quem quiser um livro digital "Papai Jovem - Não suma. Assuma!", que eu lancei em Abril, me manda um e-mail no livropapaijovem@gmail.com falando que leu a coluna no Fofoca! Será um prazer presentear os leitores daqui!

terça-feira, 26 de julho de 2016

coisas que não me contaram sobre ser mãe

Ir para a balada, beber como se não houvesse amanhã, acordar tarde, dormir tarde, não ter rotina, estar sempre muito bem arrumada, sem olheiras e com o corpo perfeito.




Você achando que está tudo ótimo. Mas aí, em um momento de descuido, tu não te previne. Depois de algum tempo começa a se sentir meio estranha. Claro que tu começa a colocar a culpa na comida e na bebida que tomou noites atrás e só fez mal hoje…
Então, tua menstruação começa a atrasar, e tu lá, firme arranjando e imaginando outras desculpas.


Um teste, 5 minutos, dois riscos e… POSITIVO. Sim, você está grávida!
Jovem, solteira e mãe – sim, isso é muito aterrorizador – tu pensa no quanto de coisas terá que deixar de fazer por causa do teu filho, mas mal sabe o que está por vir! Aqui vão 5 coisas que não me contaram sobre ser mãe jovem:

#1 Tem uma pessoa dentro de ti
Pode parecer a coisa mais natural de uma mulher em sua existência, mas tem uma pessoa dentro de ti! E mais, está se mexendo e crescendo. É lindo, claro que é. Ver teu filho se mexendo antes mesmo de conhecer o rosto dele. Mas aí entra a parte de ele chutar tuas costelas e apertar tua bexiga (o tempo todo) como se fosse uma campainha, e tu não vai mais conseguir encontrar uma posição tranquila para dormir. Aí o bicho pega!

#2 Aceitar seu corpo mudando (e MUITO!)
Gravidez é o momento em que o corpo enlouquece e tudo muda. Teu corpo, cabelo, pele e teus hormônios, ali querendo tirar toda a sanidade que ainda pode te restar.
Se teu cabelo era oleoso, fica completamente seco. Se tua pele era seca, agora da para fritar um ovo no teu rosto. Sem falar que terão dias que nem tu mesma vai aguentar tuas chatices.

#3 Ter um filho pode ser muito divertido (e como pode ser!)
Tu tem ainda mais pique para poder fazer as brincadeiras mais malucas (e as mais radicais) que existem. Vai fazer aquelas pegadinhas, rir da cara do teu filho, dançar as tuas músicas preferidas com ele, e tudo isso fará de vocês companheiros sem igual.

#4 Você vai ser uma mãe gata
Qual mulher não quer isso? HAHA!
As pessoas sempre irão te olhar diferente. Tu é nova, linda e tem um filho. Impossível que não chame atenção com isso.

#5 Você vai descobrir o melhor amor que poderá sentir
Nada poderá ser maior que isso! Não vai ser fácil aceitar que você vai ser mãe, mas depois que tu te tornar uma, vai ver que a vida não tem mais sentido sem aquela pequena criança.
Jovem, velha, solteira, casada, viúva, seja lá qual mãe tu és, sempre será a melhor mãe do mundo para o teu filho!

terça-feira, 12 de julho de 2016

festa infantil - jardim de manuela

festa de criança é tudo de bom, não é? e o primeiro ano sempre é muito especial!

nós mães sonhamos desde a gravidez com esse dia e desde então, já idealizamos como será a festa.

foi isso que aconteceu com a Tauana Bonaldo, uma amiga da família que criou uma festa como se fosse um verdadeiro conto de fadas, ela criou o "jardim de manuela".

tudo era tão bem pensando, tão fofo e meigo, assim como a pequena manuela.


encante-se com essa festa tão cheia de amor!











sexta-feira, 8 de julho de 2016

fofoca de mãe - a minha história

Quem me acompanha há mais tempo conhece boa parte da minha trajetória, mas muita gente nova chega todos os dias, então hoje resolvi contar mais uma vez a minha história.

O caminho até aqui não foi fácil, mas me tornou a pessoa que sou hoje!


Sou a Pâmela Ghilardi, tenho 25 anos e sou mãe solteira do Lucca, de 3 anos e 9 meses. Foi a partir do momento que descobri (no susto!) que seria mãe, que a minha vida mudou completamente.

Descobrir que seria mãe no auge da juventude não é nada fácil, ainda mais quando não se tem uma relação estável com o pai da criança, nem uma vida estabilizada para poder criar essa criança que está por vir. Nessa hora – pelo menos pra mim – a primeira coisa que me veio à cabeça foi o aborto, e levei essa escolha até o dia em que meus pais descobriram o que estava acontecendo.
Foi aí que TUDO realmente mudou! E não é fácil. As pessoas te olham com cara feia e pensam milhares de coisas de ti, mas nada se compara o que acontece dentro de você. Aceitar que seria mãe, que não poderia mais ir à baladas, viajar sem me preocupar com nada, e que meus objetivos de vida não seriam mais os mesmos, foi complicado. Tive que buscar dentro de mim os motivos para continuar e perceber que eu estava nessa sozinha. Não tinha apoio nenhum da outra parte. Mas eu segui, e que bom que fiz isso!

Ser mãe não é fácil. Sozinha então… (haja pique e paciência). Claro que contei por um tempo com a ajuda da minha família, mas essa tarefa era minha, sou eu quem tem que assumir todas as responsabilidades quanto ao meu filho. Foi aí que embarquei sozinha nessa vida e decidi morar sozinha com meu filho!
Talvez por que sou uma mãe jovem, vejo as coisas de outra maneira, a casa não precisa estar sempre em ordem, meu filho pode dormir sem tomar banho e eu posso sim sair pra balada e beber com as minhas amigas! Posso conhecer o mundo ainda, por que não? Ser mãe jovem só me traz mais vontade de querer viver com mais intensidade todos os momentos (e ter pique também, hehe!) que tenho com meu filho ou então até mesmo quando sozinha.
Tenho apenas 25 anos e não é por ser mãe que não posso correr atrás do que quero pra minha vida. Ainda nem comecei a faculdade, não tenho habilitação, já sofri por amor, comecei e terminei relacionamentos, bebi como se não houvesse amanhã (e teve!) e continuo sendo mãe do Lucca!

Hoje Lucca vai para o pai em finais de semanas alternados e é nesse tempo que eu aproveito para esquecer que sou mãe. Sim, isso mesmo. Não é por que sou mãe que devo me anular como mulher. É isso que vou mostrar pra vocês, pois antes de existir uma mãe, existia uma mulher, e ela não pode se deixar esquecer. Uma mãe, para fazer um filho feliz, precisa estar de bem com ela. Só assim conseguirá fazer tudo com muito mais prazer, e foi a partir desse momento que percebi que tinha que cuidar de mim também. Muita coisa mudou no meu relacionamento com meu filho, nossa cumplicidade ficou ainda maior.

Depois que me tornei mãe, todos os dias são uma novidade. Nenhum dia é mais como o anterior. As mudanças da maternidade me mostraram uma nova forma de ver a vida, uma forma bem mais leve e com muito mais amor.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

formação dentária durante a gestação - por Sarah Selaimen

Oi gravidinhas e mamães!


Quando recebemos o positivo, é uma enxurrada de pensamentos que vem à cabeça. Sempre a saúde do bebê é o foco.



São vários os fatores que mudamos na vida para trazer nosso anjinho com saúde para nossos braços.

Nessas 40 semanas de gestação o bebe desenvolve incrivelmente todos os sistemas que formam o corpo.

Um desses sistemas é o aparelho digestivo, que inicia na boca... sim gente, na boca! É ali que inicia através da mastigação a digestão dos alimentos que consumimos. São os dentinhos que farão esse serviço!

Durante a gestação já inicia a formação dos dentinhos de leite e dentes permanentes. Por isso esse desenvolvimento dentário pode ser afetado por nossas escolhas durante a gestação.




Esse desenvolvimento inicia a partir da sexta semana de gestação com os dentinhos de leite, e a partir da vigésima semana com os dentes permanentes.

Entre a 6ª e a 10ª semana inicia a formação dos dentes decíduos.

Entre 16 e 18 semanas – inicia a mineralização dos dentes decíduos (incisivos) e formam-se as papilas gustativas. Nesse momento é importante controlar a DIETA materna, as preferencias da mamãe nesse período poderão determinar as preferências futuras do bebê. Buscar uma dieta rica em frutas e verduras e pobre em açúcares ajudarão no desenvolvimento do paladar do bebê para esses tipos de alimentos.

22ª semana – Inicia a formação dos incisivos e primeiros molares permanentes e evoli a mineralização dos decíduos (caninos).



25ª semanas Inicia formação dos caninos permanentes e evolui a mineralização dos decíduos (molares).

Entre 28ª e 38ª semanas Inicia formação dos primeiros  e segundos pré-molares e inicia a mineralização dos incisivos e molares permanentes. A mandíbula está retruída (para trás) em relação à maxila. Uma bela mostra da beleza da natureza, isso acontece para facilitar a passagem da cabeça do bebe no canal de parto. Nessa fase, as estruturas da cabeça mais próximas ao cérebro se desenvolvem mais.

Condições desfavoráveis durante a gestação podem trazer alterações nos dentes em fase de formação e mineralização. Por isso é importante o controle do uso de medicamentos pelo médico que acompanha o pré-natal, assim como infecções e carências nutricionais sofridas pela mamãe.