Prazer, Mãe do Lucca!

julho 02, 2014




         
Sim, mãe do Lucca com M maiúsculo, pois mãe é quase que um nome próprio. Depois que nos tornamos mães, não existe mais Pâmela, Juliana, Anna... Existe a Mãe do Lucca, a Mãe do Artur, a Mãe da Laura.
Pâmela Ghilardi, 23 anos, gaúcha, taurina, Mãe do Lucca, mãe solteira, mãe jovem, com essas identificações que se baseiam a minha história, a qual mesmo que tenha sido difícil, tenho orgulho de mim mesma, do lugar onde estou hoje. Sim, tenho orgulho de mim mesma, pois muitas por aí, não bateram no peito tudo que segurei.
Ser mãe solteira já é motivo para preconceitos, mãe solteira e mãe nova então, minha filha, coitada de ti. Mas e daí? Pagam minhas contas? Aguentariam o tranco no meu lugar?
Hoje posso dizer que grande parte dos meus sonhos estão realizados, bem mais adiantados do que eu esperava, mas sim, realizados. Sou mãe de um anjo lindo, que iluminou minha vida, tenho meu próprio apartamento, que comecei do zero e sustento sozinha, um emprego bom que me desafia todos os dias, uma família linda, que aos trancos e barracos se mantêm firme e forte, um namorado que me apoia e incentiva, amigos e amigas que fazem da minha vida mais colorida e agora meus seguidores que fazem partes dos meus dias, participando de alguma forma.
Exemplo de vida, mas nem pensar, quero ser aquela que vai dizer a que precisa a palavra certa, mostrar que podemos conseguir, que o caminho nunca será fácil, mas que se levado de uma forma leve e alegre, com certeza será mais fácil. Eu nunca vou me esquecer de uma frase que uma amiga me disse: “Pâmela, tu sorri com os olhos!”. Essa frase levo comigo todos os dias, pra nunca deixar a peteca cair, mas ninguém é de ferro e tem horas que a coisa fica punk, mas por mais clichê que pareça, tudo passa, acreditem.
Não sou uma mãe perfeita também e nem quero ser, não sigo nenhum padrão que estipulam por aí, crio meu filho da forma que eu acredito que seja melhor pra ele, pra mim e pra rotina que temos. Deixo ele ser criança de verdade, dentro dos limites claro, mas nada de muito nhe nhe nhe, não, a vida já é tão cheia de regras quando viramos adultos, pra que complicar a vida de uma criança que está conhecendo o mundo ainda?
Estou educando meu filho para ser um grande homem, tarefa nada fácil para uma mãe solteira, mas não impossível, erros e acertos como mãe tenho todos os dias, mas faço muito mais do que o meu melhor. Quero deixar um mundo melhor para meu filho, quero que ele não sofra com coisas que plantamos hoje. Dê amor, seja gentil, sorria mais, viva mais, divirta-se mais, nunca sabemos o que vai acontecer amanhã, aproveite! Depois que você começar a levar a vida de uma forma mais leve, vai ver que seus problemas são pequenos e que a vida é muito mais bonita!

You Might Also Like

6 comentários