Seja Mãe

março 05, 2015

Oi pipow!
           Hoje montei um post bem bacana sobre o que é ser mãe, quais as dificuldades que podemos encontrar, o que nossos filhos pensam da gente, como eles nos veem e o quanto isso afeta no crescimento intelectual deles, pois dessa forma, fica mais fácil de prever que adultos teremos nos futuro!
A figura materna tem grande importância no processo de crescimento de uma criança, pois é a partir da mãe que eles criam suas projeções para o mundo. De acordo com especialistas, a presença da mãe representa a continuidade da vivência no útero.
Até os três anos de idade a criança se enxerga como uma extensão da mãe. Somente após essa idade e que o pai ganha espaço na personalidade do filho, complementa o psicólogo, pois foi no útero que o bebê recebeu seus primeiros cuidados, como a alimentação, calor, proteção e conforto.
É através do cheiro, da audição, do paladar que a criança se liga mais à mãe após o nascimento, pois foi dentro do corpo dela que ele sentiu essas primeiras sensações.
Os meninos tem uma relação muito mais calorosa com a mãe, pois parte deles o querer estar perto, proteger e dar carinho, é um comportamento natural, pois para eles, somos as legítimas “Mulher Maravilha”, as mais lindas, perfeitas e corretas do mundo, onde nossos defeitos são quase que invisíveis. Acreditam em tudo que dizemos e nos protegerão com todas as forças.
O pai é sempre aquele brincalhão, aventureiro, forte e com brincadeiras mais arriscadas. Eles representam o afastamento do mundo materno, conforto e a segurança que toda mãe proporciona, dando assim ao filho maior equilíbrio e autonomia para crescer e se desenvolver.
            Todo esse equilibro é fundamental para que a criança possa ter um desenvolvimento normal, pois se isso não acontecer e maus-tratos físicos e psicológicos das pessoas que ele ama e confia tomarem o lugar de carinho e afeto, a criança irá crescer traumatizada, pois é na infância que se molda o caráter de um adulto.
            Nossos meninos esperam que a gente demonstre o quanto amamos eles, com gestos e muito carinho. Dessa forma, ensinar a fazer o bem, dizer o que é certo e errado, ensinar a ser independente irão se tornar tarefas mais fáceis.
            Mas da mesma forma que temos que ensinar e educar, não devemos ensinar tudo e nem dizer quais são todos os caminhos corretos a serem seguidos, deixem que eles descubram qual caminho a seguir, nem sempre o nosso correto é o da outra pessoa. Dê bons exemplos e deixe que seu filho experimente a se virar sozinho.
            É errando que eles vão descobrindo muitas coisas, em querer continuar até acertar. Devemos dar espaço para que isso ocorra e quando errar, devemos corrigir com firmeza, mas nunca sendo maldosa ou humilhante, pois nossos filhos estão aprendendo, agora que é a hora de errar.
            Não podemos esquecer de estabelecer os limites, pois sem eles, nossos filhos não terão disciplina e por consequência terá dificuldade de cumprir qualquer tarefa e lembre-se, que se não adotarmos uma postura firme nessas horas, eles irão saber que podem nos manipular.
            Devemos sempre ser diretas e realistas com nossos filhos, não devemos criar um mundo mágico, para que mais tarde sejam destruídas, trazendo ainda mais frustação. Ser honesta é a maneira mais fácil, para que eles compreendam algo que pode não ser agradável a eles. Ser nós mesmas e dar aos nossos filhos essa autônima traz apenas benefícios, pois assim eles vão descobrir que tudo pode ter uma consequência.
            Além de toda a educação que devemos dar, não podemos deixar de lado os abraços, beijos, sorrisos, brincadeiras, esse contato físico vai deixar com que eles saibam onde recorrer quando se sentirem inseguros.
            Mas toda a mulher que se torna mãe, independente da forma que eles vieram, descobrimos que cada um tem o seu jeito de educar, a sua maneira de dar amor, aqui são apenas dicas, se você vai levar para a sua vida materna, já é outra história.
            Maternidade não vem com bula e mesmo se viesse seria alterada a cada minuto, pois tenho certeza que muitas mães que leram milhares de fórmulas que seguiriam quando os filhos nascem, morderam a língua.
Ser mãe é isso, é se renovar constantemente, ter uma novidade a cada segundo, descobre que o filho que depende do seu amor e da segurança que ela transmite, é o melhor presente que Deus lhe deu.
Mãe reclama do cansaço, da unha não feita, dos cabelos mal cuidados, mas ter a certeza de que faria tudo de novo, por inúmeras vezes.

Eu amo ser mãe, ter tido a benção se ser mãe do Lucca.

You Might Also Like

0 comentários