Deixe seu filho ser independente!

abril 16, 2015

Oi pipooow!

            Desde que Lucca começou a querer apresentar independência, como tomar mamadeira sozinho, comer sozinho, pegar algo, se levantar após um tombo... Sempre incentivei que ele fizesse isso e até hoje levo isso para a criação dele, a Vovó Fofoca que não gosta muito, está sempre em cima do Luquinha, mas é importante para eles, pois dessa forma estaremos educando adulto que consigam tomar suas próprias decisões e atitudes.


            Encontrei um exemplo muito legal no site da Revista Nova Escola e quero compartilhar com vocês, pois ele traz bem a realidade.
          É hora do recreio. A garotada toda corre até a pia para lavar as mãos. Na sala de aula fica apenas uma criança, esperando que o professor a acompanhe. Enquanto os colegas comem o lanche, o garoto, mais uma vez, aguarda que alguém o ajude. Na Educação Infantil, demonstrações de falta de autonomia como essa não são raras e indicam superproteção da família. Como a escola é o primeiro espaço de socialização que as crianças conhecem depois de sua casa, está em suas mãos torná-las independentes, de acordo com o que é esperado para cada faixa etária.
           O pequeno aluno se retrai por acreditar que o mundo só pode ser explorado ao lado da pessoa que cuida dele a mãe, por exemplo. Curiosamente, é o próprio adulto quem estabelece essa relação de dependência. "Por zelo, ele faz todas as tarefas pelo filho. Com isso, cria na criança o hábito de esperar que outros ajam da mesma maneira e, também, o medo de fazer algo sozinho", explica Elvira de Souza Lima, psicóloga especialista em desenvolvimento humano, de São Paulo.
          O que podemos ver é que muito dessa falta de independência vem apenas da criação que os pais trazem para a vida do seu filho, o que traz consequências para a sua vida adulta. Deixar o filho brincar sozinho durante um tempo é muito importante, assim como sempre deixar os brinquedos onde ele consiga pegar sozinho. Fazendo isso, ele se acostuma a passar tempo consigo mesmo e a fazer coisas sem depender de outra pessoa. É claro que o pai sempre tem de estar de olho, para a segurança da criança, mas não interagir com o seu filho durante um determinado período do dia, quando ele é criança, influenciará em sua personalidade quando for adolescente.
          É preciso dar espaço e responsabilidade aos nossos filhos e deixar que façam as coisas sozinhos, mas o processo deve ocorrer gradativamente. Se acontecer rápido demais, ou antes da hora, crianças pequenas ficam assustadas com a independência e o efeito é o contrário: elas podem se tornar introvertidas ou se tornar ainda mais dependentes dos pais.


 Além disso, a cada adaptação de autonomia do seu filho, lembre-se de parabenizar ele pela conquista, como: “Muito bem filho” ou “você conseguiu filha, parabéns” isso vai incentivar ainda mais seu filho de se tornar independente.
Outra forma de praticar é pedir a opinião deles, ouvir o que eles tem a dizer sobre qualquer assunto, como foi a escola, o que achou do desenho que assistiu, o que gostou do seu dia, essas coisas simples fazem a diferença também.
Deixe que ele faça pequenas atividades do dia-a-dia sozinho, como calçar os calçados, se vestir, escovar os dentes, lavar as mãos, comer, pegar seus brinquedos... Enfim, são inúmeras coisas que eles podem fazer sozinhos sem os pais.

  
No site Baby Center encontrei dicas legais e funcionais, que de atitudes bem simples podem ajudar ainda mais nessa tarefa. 
Preparando-o para sair sozinho
- Uma criança pequena, de 1 ano, pode passar um tempinho brincando sozinha no quarto, desde que todos os perigos sejam retirados.
- Aos 2 anos, a criança pode sentar-se à mesa ou no cadeirão e desenhar, enquanto você cozinha, ou brincar aos seus pés enquanto você conversa ao telefone. O segredo é interagir com ela a cada um ou dois minutos, e uma palavra, um sorriso ou um beijo lançado de longe é tudo de que ela precisa. 
- Aos 3 anos de idade, seu filho deve caminhar pequenas distâncias com você -- até a banca de jornal ou à lojinha perto de casa, por exemplo. Andar faz bem à saúde e é essencial para aprender segurança nas ruas. Se a criança vir você olhar para os lados ao atravessar a rua, ela também fará o mesmo. 
Tarefas domésticas que uma criança de 3 anos pode fazer
- Guardar os brinquedos: faça disso uma brincadeira -- por exemplo, coloque uma música para tocar e brinque de guardar tudo antes de ela acabar.
- Cuidar da roupa suja: aos 3 anos, a criança pode separar as próprias roupas das outras, e as cores claras das escuras. Também pode pôr sua roupa suja no cesto.
- Arrumar a mesa: crianças de 3 anos podem tirar o pó e passar um pano na mesa e no chão se você torcer o pano para elas.
Comendo sozinho
- Assim que ela conseguir segurar objetos pequenos com os dedos e o dedão, no movimento de pinça (em torno dos 6 a 9 meses de idade), deixe a criança comer sozinha sanduichinhos, pedacinhos de banana, cenoura cozida, maçã ralada etc.
- Quando der comida a seu filho, também dê uma colher para ele segurar. Mas levar uma colher de comida do prato para a boca é um negócio complexo e melecado, e leva tempo para ele conseguir. Aos 3 anos já dá para comer sozinho com um garfo de pontas arredondadas, mas ainda é preciso cortar a comida para ele.
- Deixe o bebê segurar o copo ou a mamadeira mesmo que você ajude -- e, aos poucos, passe o controle todo para ele.
- Crianças que praticam ou brincam com coisas que estimulam o uso dos dedos logo aprendem a fazer essas tarefas. Dê a ela um giz de cera grosso e um pedaço de papel para desenhar. Procure brinquedos que estimulem o ato de encaixar, como quebra-cabeças simples.
            Ajudando seu filho a se vestir
- Crianças pequenas têm dificuldade em lidar com zíperes, botões, cadarços e ganchos -- escolha roupas com elástico, velcro ou que entrem nela mesmo com zíperes e botões parcialmente fechados. 
- Ponha as roupas (sobre a cama, por exemplo) da esquerda para a direita, na ordem em que serão vestidas. Isso não é essencial, mas treina a direção que os olhos devem seguir ao ler.
- Coloque as roupas (sobre a cama, por exemplo) de um jeito que a criança as segure do jeito certo - calça com a frente para cima (assim ela pode sentar e vesti-la), blusas e vestidos com a frente para baixo.
- Escolha calcinhas ou cuecas com faixas contrastantes na cintura e nas pernas -- isso ajuda a criança a acertar os “buracos” na hora de se vestir. Também dê preferência a meias sem calcanhar marcado.
- Ensine seu filho a colocar primeiro os braços nas blusas e camisetas, antes da cabeça. Evite golas apertadas.
- Ajude a criança a calçar os sapatos, mas deixe que ele os prenda com o velcro sempre que possível. Crianças sentam com os joelhos voltados para fora e tendem a colocar o sapato com o fecho voltado para dentro, onde elas conseguem vê-lo. Por isso elas acabam trocando os sapatos.
- Ensine "truques" ao seu filho: a etiqueta fica sempre para trás, quase sempre a estampa da camiseta é para a frente, a costura central da calça fica embaixo do umbigo, o desenho ou fecho do sapato fica quase sempre para o lado de fora.

Enfim, não existe uma idade certa, pois cada criança tem um desenvolvimento diferente, mas quando os pais perceberem que os filhos são capazes de fazer tarefas simples, como amarrar o sapato, colocar a roupa ou comer sozinho, devem incentivar os filhos a fazê-las. 

Mas nunca esqueçam o amor acima de tudo!

Até o próximo post!

You Might Also Like

0 comentários