Novo colunista do blog, Edu, o pai das Marias

setembro 18, 2015

Oi pipowwww, não, Perai, já tem alguém que fala assim, vou tentar ser mais criativo! 

Oi gente, fui convidado pela Pam pra escrever sobre maternidade ou melhor, paternidade, acredito que nesse primeiro momento eu deva me apresentar pra vocês.
Pois bem, me chamo Eduardo, sou marido da Si, pai de duas meninas, duas Marias, Maria Antonia e Maria Eduarda, alguns de vocês já me conhecem através do meu perfil no instagram, @pai_das_marias, mas poucos conhecem a minha história.
​Eu e Si nos conhecemos no colégio em 96, eu tinha uma queda por ela, e ela não tinha por mim, coisa de adolescente. Ficamos amigos, muito amigos, mas o tempo foi fazendo a gente se afastar, faculdade, outros relacionamentos, até nos reencontrarmos em 2009. Voltamos a andar juntos, e em agosto de 2009 ficamos juntos, tudo muito rápido, casamos em janeiro de 2010, e depois de longos 3 anos tentando, ela engravidou da nossa primeira filha Maria Antonia.
Comecei a postar o meu dia a dia com as meninas pra mudar essa ideia que pai só deve dar uma ajudinha a mãe, as quais conquistaram um espaço no mercado de trabalho muito importante e nós homens devemos ficar em casa cuidando das crianças, não, calma, não é bem assim, mas no meu caso sim.
Desde que me tornei pai, fiquei desempregado e resolvi mudar a ordem "normal" das coisas, pois é, lá em casa a esposa trabalha e eu? Bom, eu cuido das meninas e da casa.
Voltando a falar sobre a conquista feminina no mercado de trabalho, essa coisa que só mulher deve cuidar da casa e dos filhos ficou pra trás, hoje em dia, devemos dividir também essas tarefas. Eu passo o dia com duas meninas, Maria Antonia de um ano e oito meses, e Maria Eduarda de 4 meses e meio, o que parece ser uma tarefa das mais fáceis para algumas mulheres, e pra outras nem tanto. Tudo isso se tornou o dia a dia de um homem de 2 metros de altura, nem um pouco delicado e muito desastrado.
Após dois meses de licença maternidade, minha esposa precisou voltar ao trabalho, e eu, já desempregado, resolvi que assumiria os cuidados com nossa filha, tudo muito fácil na teoria, mas na prática nem tanto.
No primeiro momento tive ajuda da minha mãe, mas depois do primeiro mês, resolvi fazer as coisas do meu jeito, e eu posso dizer, tem sido bastante gratificante, mas aí mesmo tempo cansativo. O que parecia simples e fácil, pra mim, começou a se mostrar uma das tarefas mais difíceis da minha vida, eu tinha medo de não dar conta, mas eu me surpreendi, tudo bem que a nossa primogênita ajudou bastante, ela sempre foi um bebê bem tranquilo, dormia a noite toda, tinha poucas cólicas, o banho era moleza, mas tinha uma coisa que me incomodava, fazer a higiene intima dela me deixava constrangido, eu tinha medo de machuca-lá, e ao mesmo tempo, receio de fazer errado e lhe trazer problemas de saúde, mas no final das contas tudo correu bem. 

Espero encontrar vocês nos próximos posts. Ainda tem bastante coisa pra contar, tenham paciência comigo, é tudo novidade, e confesso que tive mais medo de aceitar esse desafio do que o de cuidar se duas meninas.

Um beijo, Edu, pai das Marias. 

You Might Also Like

0 comentários