rotina de uma mãe normal

junho 01, 2016


Final do dia, você busca seu filho na escola, na esperança que ele venha saltitando de felicidade de te ver e poder curtir uma noite de brincadeiras com ele. Mas aí ele começa a chorar, pois o (maldito) tio do algodão doce de R$ 62,00 está na frente da escola do seu filho e mesmo que ele não goste de comer, ele vai chorar por que quer aquele algodão doce.

Respirando fundo (parte 1)


Você inventa alguma história de que o tio do algodão doce está ali só esperando a Maria, que filha dele e que tudo aquilo é para ela (coitada da Maria, vai ter uma dor de barriga daquelas).

Chegando em casa, depois de um longo dia de trabalho, você abre a porta de casa, acende a luz e cadê a luz?

Sim, você pagou a conta do mês errado e cortaram a luz da sua casa. (sim, eu fiz isso!).

Respirando fundo (parte 2)


As noites de sono quebradas estão fazendo que a sua memória vá para o espaço, mas beleza, quem nunca?

Você prepara o jantar do seu filho (em meio a muitas chamadas dele para ver o brinquedo que está aparecendo na televisão e ele quer), ele não quer comer. Beleza, quando estiver com fome vai pedir.

Vamos lá o dia está chegando ao fim!

Hora do banho, choro por que não quer tomar banho, choro por que não quer sair do banho.

Hora de dormir, claro, que se filho não quer dormir.

Você está cansada, ele está cansando.

Passa pela sua cabeça todas as matérias que você já leu sobre manter a calma em um dia difícil.

A saga continua.
pausa: assistiram o filme "Divertida Mente" que tinha aquele bonequinhos que são as nossas emoções dentro do nosso cérebro? Pois é, os das mães são bem diferentes das outras pessoas. Os nossos aguentam por muito tempo a pressão, mas nem tudo é para sempre não é.
Depois de muito insistir e conversar com seu filho para que ele deitasse na cama para que você contasse a história de dormir, ele resolve que está com sede.

Você busca o copo d'água e ele derruba água na cama e no pijama todo.

Pronto, você perdeu a cabeça!

Aquele momento pode ser algo pequeno, insignificante, mas tudo vem à tona. Você perde a razão. Ele pode não ter tido culpa alguma, foi um acidente, mas dentro de você foi a pior coisa que poderia ter acontecido naquele momento.
Você surta, seu filho chora, fica triste com você, por você ter ficado braba com ele. Vocês se abraçam, ele pede desculpas, você pede também e o nosso coração se enche de amor mais uma vez.

Ele adormece em seus braços e está ali, em seus braços sua maior obra-prima.

Você sai do quarto do seu filho, respira fundo mais uma vez e continua a rotina diária, como se nada tivesse acontecido.


E você esquece tudo que aconteceu naquele dia por que amanhã é um novo dia!

You Might Also Like

0 comentários