endometriose - minha cirurgia e pós operatório

novembro 21, 2016



demorei para escrever essa matéria pois queria esperar passar todo o pós operatório, mas como ele está se estendendo um pouco decidi contar um o que está acontecendo.

para quem não sabe a minha luta desde que fui diagnosticada com endometriose, aqui está os links das matérias que já escrevi sobre:
- endometriose (como fui diagnosticada)- endometriose - tratamento (meus tratamentos para endometriose)- a espera pela cirurgia (conto os problemas que tive até fazer a cirurgia)
como nesses link's acima já tem tudo que aconteceu antes da cirurgia, vou focar realmente no dia da cirurgia em diante.

minha cirurgia para retirada dos focos de endometriose foi realizada no dia 28.10.2016, no hospital Dom Vicente Scherer (Porto Alegre -RS) , pelo médico especialista em endometriose Paulo Sytiá (ele é O cara da endometriose, dá palestras no Brasil inteiro sobre), vou deixar o contato dele no final desse post.

para minha surpresa, eu estava super calma quando cheguei ao hospital, talvez por todo estresse que passei, disse para mim mesma que só acreditaria realmente que estava tudo certo, quando estivesse deitada na maca do bloco cirúrgico e foi isso que realmente aconteceu.

o procedimento foi realizado por videolaparoscopia (já fiz uma para retirada da vesícula), onde são feitos três acessos na barriga (um no umbigo e dois perto da cicatriz da cesárea) e um acesso é veio pela vagina, por isso a posição para a cirurgia é ginecológica e com anestesia geral.

minha cirurgia durou aproximadamente 1:30, 1:45 e foram retirados todos os focos de endometriose que existiam, localizados perto do útero. além dos focos, foram secadas varizes no útero, retirada algumas aderências e também testadas as minhas trompas (caso eu queira engravidar, mas não é o caso).

me acordaram ainda no bloco cirúrgico e senti MUITAS dores, então logo me deram morfina para que até a chegada na sala de recuperação não fosse tão dolorida.

por precaução, nessa cirurgia é necessário pernoitar no hospital e por ser algo sem maiores complicações, passei a noite na sala de recuperação mesmo, não foi necessário um quarto.

assim que cheguei na sala de recuperação, as dores são inevitáveis e por experiência própria nem cogitei me virar de lado, isso porque nas cirurgias por videolaparoscopia é injetado gás dentro do abdômen para que os órgãos se soltem e as camadas dentro também se inflem para melhor manejo do médico, e na minha primeira cirurgia por vídeo, assim que cheguei na recuperação, quis deitar de lado e a sensação de ter TODOS teus órgãos indo para o lado não é nenhum pouco boa. mas além disso, a dor é bem chata, então ficar deitada de barriga para cima é melhor.

passado alguns minutos, passei a sentir uma dor bem incômoda no meu braço esquerdo (onde estava o acesso onde foi injetada a anestesia e depois da cirurgia, o soro e remédios para dor) e por mal conseguir me mexer, pedi que a enfermeira olhasse meu braço e assim que ela baixou o lençol, pude ver meu braço praticamente explodindo. o acessos tinha saído do lugar e o soro estava todo no meu braço. foi preciso muitas compressas de água quente e fria para que voltasse ao normal e o acesso foi imediatamente trocado para o outro braço.

as dores são inevitáveis, é preciso ficar a base de remédios fortes para que você consiga aguentar. total sem dor, não posso dizer que fiquei, foi bem chato.

não consegui comer muito, pois tudo por dentro incomoda, mas como estava com soro, não precisei me preocupar muito em comer. o que realmente é preciso, é fazer xixi, para que realmente passe o efeito da anestesia (que é feito na comadre, um recipiente que colocam pra você fazer e não precisar ir até o banheiro).

o efeito da anestesia geral, para quem nunca teve que passar por um procedimento assim, não passa imediatamente, você está acordada, mas ainda tem efeito dentro do seu corpo e a medida que ele vai passando, seu corpo vai dando sinais, como por exemplo dormência dos membros, formigamento, ansiedade, é bem chato, mas é preciso manter a calma, pois caso contrário fica ainda mais complicado os sintomas até que passe totalmente o efeito.

a noite foi complicada, não consegui descansar. mesmo com remédio para dormir, vi no relógio todas as horas passarem naquela noite.


pela manhã, é preciso conseguir se levantar e ir até o banheiro, e isso é muito dolorido. descer da cama, tentar ficar de pé, caminhar, é tudo muito dolorido, mas é necessário e as enfermeiras te estimulam toda hora para isso.

depois de algumas idas ao banheiro, fui colocada sentada, pois minha alta estava chegando e talvez por isso, passei a sentir mais dores. fui medicada com dois remédios, e apenas não tomei morfina, por saber que a dor não era tão forte para isso e também porque a sensação da morfina é ruim, minha pressão despenca e parece que meu corpo sai de mim.

recebida a alta, finalmente pude vir para casa (quando se está operada você percebe ainda mais que o caminho até sua casa é cheio de buracos)  e deitar na minha cama foi simplesmente maravilhoso.

nos primeiros dias não consegui comer nada que não fosse comida de doente, sopa, frango grelhado com arroz. 

no terceiro dia de pós operatório, tive que entrar em contato com o médico, pois os remédios que o médico tinha me passado não estavam fazendo efeito.

além disso fiquei constipada por muitos dias (efeito dos gases inseridos para a cirurgia), a dor para ficar em pé é bem forte, a sua barriga fica enorme e qualquer coisa movimento que você tenha que fazer não parece mais tarefa fácil, pequenas caminhadas são indicadas, mas seu corpo não consegue muito responder, o cansaço bate muito mais rápido que você imagina.

não tive muitas dores nos pontos, claro que estavam sensíveis, mas as dores que tive foram mais internas mesmo.

não é permitido pegar peso, exercícios físicos e relação sexual. o repouso é de 15 dias e a liberação para suas atividades são liberadas conforme o médico liberar.

tirei meus pontos com exatas duas semanas da cirurgia e a minha cicatrização foi ótima e no dia fui liberada para exercícios físicos leves, relação conforme fosse confortável para mim e até me liberou para ir no show da Anitta que eu tinha pelo ATL Girls naquele dia.

na semana seguinte a retirada dos pontos, tentei voltar a fazer minhas atividades, limpar a casa, dar banho no lucca, passeios curtos e nada foi fácil, voltei a ter muitas dores.

na sexta passada, dia 18 tive crises muito fortes que me fizeram ter que sair do trabalho e vir para casa repousar. liguei para o médico e ele disse que isso ainda é normal, que posso ficar 60 dias ainda sentindo alguma dores e me passou um tratamento para seguir tomando até que eu me sentisse melhor.

passei o final de semana TODO deitada, todo não é exagero, fiquei mesmo, deitada no meu quarto o final de semana inteiro repousando (e claro, olhando muito netflix).

o pós operatório mais chato que já tive, essa é minha 3a cirurgia (retirada da vesícula, cesárea e endometriose) e hoje estou realmente repensando se algum dia ainda quero colocar silicone nos seios, pois realmente não está sendo fácil essa recuperação.

mês que vem tenho retorno com o meu ginecologista para mostrar os resultados da cirurgia e indicações de como continuar com os tratamentos da endometriose, pois infelizmente ela não tem cura. hoje estou sem focos, mas se eu não continuar tratando, eles poderão voltar.

olha pipow, aqui é apenas o meu relato, não tem termos técnicos da cirurgia, nem parecer médico, é apenas tudo que aconteceu comigo nessas pouco mais de três semanas de cirurgia.

ahhh, segue o contato do meu cirurgião (atende Unimed e outros planos também)
Clínica Endoyne
Dr. Paulo Sytiá
(51) 3222-7849
Rua Mostardeiro, 392, sala 701 - Bairro Moinhos de Vento, Porto Alegre  - RS

ele é super gente boa, tira todas as dúvidas, super recomendo!

caso novas coisas aconteçam depois, volto e conto mais para vocês.

se vocês tiverem alguma dúvida, algo que talvez eu tenha deixado passar aqui, fiquem à vontade de me perguntar, podem me chamar nas redes sociais ou também me mandar um email: fofocademae@gmail.com


You Might Also Like

0 comentários