Aceitação: amando meu corpo após a maternidade (ou pelo menos tentando!)

julho 14, 2017


Sim, esse é meu corpo!

Se tenho vergonha dele?

Talvez.

Por mais clichê que possa parecer, esse é o corpo de um "novo eu".

Existem dias em que eu me aceito e existem dias que eu me escondo debaixo de cintas super apertadas.

Já fiz dezenas de tratamentos estéticos (10 sessões de laser, mesoterapia, carboxoterapia, drenagem e por aí vai) e nenhum deles de fato fez com que a minha barriga voltasse a ser como era antes de ser mãe.

Emagrecer torna minha flacidez muito pior e as estrias, fazem com que a minha barriga mais parece uma laranja velha.


Meu corpo se transformou para receber o milagre da vida, e essas marcas são a uma forma de lembrar que sim, eu mudei.

Posso ter mudado fisicamente, mas o que mudou dentro de mim (e o que ainda vem mudando) é muito maior.

Existem dias que eu faria qualquer coisa para cortar tudo isso fora, ter uma barriga lisa e durinha, mas existem outros, em que eu penso: tudo bem, esse corpo que me deu a vida que tenho hoje, uma vida que nunca poderia imaginar e isso me faz​ feliz.

Corpo não define o que você é por dentro, e por mais que existam dias que você gostaria de um outro corpo, não esqueça que existem pessoas que não chegam aos pés da pessoa que você é por dentro.

Escrevo esse texto pra mim, pra trabalhar a reflexão, pra me lembrar mais uma vez de tudo isso que você leu nas linhas acima.

Ser mãe é muito bom, mas ser uma mãe que ama a mulher que ela se tornou, é ainda melhor!

Foto do ensaio incrível que fiz com a minha linda amiga Bárbara Schmidt, para o especial Em Tua Pele Retrato Feminino.

You Might Also Like

0 comentários